Crédito Habitação: o que precisa de saber

Recorrer a um crédito habitação é a realidade da maior parte de nós. Sabemos que este processo nem sempre é fácil uma vez que os custos dos imóveis são bastante elevados, mas não se preocupe: estamos aqui para o ajudar a descomplicar! 

Fonte: rentafija.com

A escolha do banco

Antes de pedir qualquer tipo de crédito, é aconselhável que faça uma pesquisa acerca das propostas que cada banco tem para lhe oferecer e, só depois, escolher aquela que lhe proporcione as melhores condições. A melhor oferta será sempre aquela que signifique menos despesas para si, no futuro. Igualmente importante será recorrer a um crédito que lhe permita alargar o prazo de prestações, pagando valores reduzidos comparativamente a outros créditos de curto prazo. 

As fases

Independentemente do tempo que o processo de financiamento demore, terá sempre de passar por estas cinco fases. Tome nota:

  1. Envio de documentação necessária
  2. Pré-aprovação do crédito para a compra da casa
  3. Avaliação do imóvel em questão
  4. Realização do contrato-promessa compra e venda
  5. Aprovação do crédito para a compra da casa

São vários os documentos necessários para cada uma destas fases. O banco irá informá-lo, antes de cada uma, acerca daqueles que precisa de apresentar. São exemplo alguns deles:

  • Documento de identificação
  • Última declaração de IRS
  • Declaração de rendimentos
  • Último extrato bancário de cada um dos cartões de crédito
  • Caderneta predial
  • Planta do imóvel
  • Certificado energético
  • Licença de utilização do imóvel
  • Escritura da hipoteca

Financiamento

Atualmente, existe uma medida que só permite que os bancos financiem até 90% do valor da escritura de aquisição, sendo que o imóvel que irá ser financiado não pode ter nenhum outro crédito associado. No entanto, se optar por adquirir um imóvel do banco, pode usufruir de um financiamento de 100%. Se esta for uma opção, a única coisa que tem de fazer é dirigir-se a um balcão de uma instituição bancária ou pesquisar na internet os imóveis de bancos e consultar as ofertas existentes.

Fiadores

Dependendo do risco que poderá representar para o banco, ser-lhe-á exigido um fiador ou não. Isto é, quanto maior for o risco para a instituição bancária, maior será a possibilidade de ter de apresentar um fiador para conseguir concluir o negócio. O banco irá calcular a sua capacidade de pagar as prestações do empréstimo através da sua taxa de esforço, ou seja, a avaliação que o peso da prestação mensal do crédito habitação tem no seu rendimento líquido do seu agregado familiar. São avaliadas condições profissionais e financeiras para verificar se a sua taxa de esforço é baixa ou elevada, confirmando se tem (ou não) condições para pagar o crédito que solicitou. Ainda que a sua taxa de esforço seja baixa, o banco pode exigir um fiador por questões comerciais. 

Se tiver curiosidade em saber qual a fórmula da taxa de esforço, fique a saber:

Total de Prestações Financeiras / Rendimento do Agregado Familiar] x 100 = total em percentagem

A taxa de esforço não deve ultrapassar os 30%, pelo que se o valor apresentado for maior que esse, é provável que o crédito não seja aprovado. 

Situação de desemprego

É possível contrair um crédito bancário em situação de desemprego, mas depende do banco. A instituição bancária poderá aceitar fazê-lo desde que consiga acrescentar fiadores ou outras garantias adicionais de pagamento. Contudo, e de um modo geral, se não tiver fiadores e estiver numa situação de desemprego prolongada, será difícil o banco conceder-lhe o crédito. 


Inês Rita

March 19, 2020 - 3:41 pm

1